Cotidiano

Adeus, Agosto

09.01.18

Je ne sais quoi, mas sempre tenho a sensação de que o mês de Agosto é um mês extremamente confuso e caótico. Talvez sejam as férias, o fato de que é final de ano letivo, o calor. Ou talvez alguém que entenda de astrologia consiga apontar algum problema no meu mapa astral e o alinhamento dos planetas justifique essa doidera toda.

Esse Agosto em particular conseguiu se superar. Foram dias de “tá tudo ótimo” intercalados com uns dias de ansiedade extrema, crise existencial e uns pensamentos bem escrotos que surgiam do nada pra sabotar minha sanidade. Fazia tanto tempo que não tinha que lidar com isso que fui pega meio desprevenida e tô tendo que reaprender a buscar e manter o equilíbrio dentro de mim. Ao menos os dias bons superaram em número os dias ruins, mas graças a Deus que o mês acabou e com sorte Setembro leva embora esse estresse todo de uma vez por todas que eu realmente só quero um pouco de paz.

Agosto trouxe também uma onda de calor bizarra e insuportável. Com direito a ser acordada com alerta de risco de incêndio, empenar a porta de casa e quase me deixar trancada, ver as ruas vazias no verão pela primeira vez desde que me mudei pra cá e cogitar se seria possível dormir dentro de uma geladeira. Quando o calor felizmente passou, a vontade que deu foi de sair cantando pelas ruas.

Me dei conta que foi o último mês completo de um verão que, tirando a onda de calor citada, até que foi bem tranqüilo para os parâmetros ibéricos.

Em Setembro tem o equinócio do outono – minha estação favorita – e mais um motivo para me empolgar em deixar Agosto para trás. Comprei até uma mini-chaleira nova, já pensando em temperaturas mais amenas, dias mais curtos e momentos de folga que poderão ser aproveitados com uma caneca nas mãos, uma manta quente, gata no colo e algum seriado bobo no computador.

Apesar dos perrengues, Agosto não foi um mês ruim de todo.

Tive a oportunidade de passar uns dias com a família e pela primeira vez na vida terminar uma partida de Banco Imobiliário (fiquei em segundo lugar, perdi justamente pro meu irmão que pensa em ser economista). Teve cafofo cheiroso (um oferecimento do home spray da Zara Home em queima de estoque), limpinho e uma Monica Geller interior bastante satisfeita consigo mesma. Me distrai bastante jogando Skyrim e Fallout 4 porque estava saudosista. Teve muito chá gostoso recebido pelo correio, receitas que deram certo, dias de sol com céu azul, e uma ida a IKEA que rendeu uma mesa nova de jantar na sala (e que já virou a nova mobília favorita da Lola), estantes na cozinha e claro que: plantinhas novas.


Agosto também foi acompanhado de uma saudade enorme e inexplicável de Game of Thrones, que me levou a comprar esse chaveirinho super fofo do Jon Snow e a tomar a decisão de ler A Song of Ice and Fire desde o primeiro volume. Enquanto HBO não libera episódios novos, a gente se vira como pode, mesmo que isso signifique carregar esse pequeno tijolo por aí.

Esse post talvez tenha sido tão confuso quanto o mês, mas eu acho sempre bom encerrar um capítulo antes de começar o próximo com o pé direito.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *