Literatura

Os Primeiros 8 de 2018

08.17.18

  1. Cem anos de Solidão Gabriel Garcia Márquez
    Quis começar o ano e a meta de leitura com um escritor sulamericano, escolhi Gabriel Garcia Márquez e não me arrependi. Cem Anos de Solidão acompanha as diversas gerações da família Buéndia e seus inúmeros Aurelianos e José Arcadios. Achei que lá pro final o livro começa a se tornar um pouco cansativo. E ainda assim, quando cheguei a última página, fiquei triste da minha estadia na aldeia fictícia e mágica de Macondo ter chegado ao fim.
  2. A Scanner Darkly Philip K. Dick
    Eu não sabia – ou não lembrava – que gostava tanto de ler ficção científica até encontrar Philip K. Dick. A Scanner Darkly acompanha um policial infiltrado em um grupo de viciados numa nova droga recreativa chamada Substância D. O livro em si é uma viagem bem louca, cheia de personagens interessantes. A Scanner Darkly rendeu uma adaptação pro cinema com Keanu Reeves, Robert Downey Jr. e a Winona Ryder que eu também recomendo e que é igualmente louco.
  3. O Retrato de Dorian Gray Oscar Wilde
    Ainda bem que li esse livro no kindle, porque de dois em dois segundos esbarrava numa citação que queria destacar. Se fosse livro físico estaria todo riscado no momento. Leitura bem rapidinha sobre a essência do ser humano, a vaidade, consequências e o cuidado que devemos tomar com quem damos ouvido.
  4. The Black Echo Michael Connelly
    Primeiro livro da série sobre o detetive Harry Bosch (que recentemente virou um seriado produzido pela Amazon). Não costumo ter muita paciência pra livros policiais, mas a escrita do Michael Connelly me conquistou porque é uma narrativa rápida, sem muito enrolação, e a ação é narrada de uma maneira que enquanto lê, você é capaz de dirigir a cena na sua cabeça. Depois que tive tempo para realmente começar a ler, não larguei até acabar porque queria saber o desfecho do mistério.
  5. Me Chame Pelo Seu Nome André Aciman
    Não sei exatamente o que me fez pegar esse livro, mas que bom que peguei. É um desses livros que te tira da sua realidade e te transporta para outra. Estava super atolada de trabalhos, mas toda vez que abria esse livro, eu de repente estava de férias em uma ilha italiana nos anos 80, vivendo um romance de verão. Muito gostosinho de ler.
  6. A Amiga Genial Elena Ferrante
    A série napolitana estava há um tempão no meu kindle, mas confesso que só me empolguei realmente para ler porque queria continuar minhas férias literárias na Itália. Incrível a habilidade da Elena Ferrante de te fazer sentir parte da infância de duas meninas em Nápoles. Me encantei pela Lila e pela Lenù, fiquei feliz por elas, sofri por elas, me preocupei com elas e terminei A Amiga Genial já procurando a sua continuação.
  7. História do Novo Sobrenome Elena Ferrante
    Infelizmente tenho que confessar que o segundo livro, sobre a adolescência das duas meninas, não me conquistou da mesma maneira. Na verdade, me deu até um certo desconforto. Percebi que o livro estava me causando mal estar (talvez não estivesse numa boa fase mentalmente para lê-lo) e terminei mais porque queria encerrar logo a leitura e seguir para coisas mais leves do que por querer saber o seu desfecho.
  8. Do Androids Dream of Electric Sheep? Philip K. Dick
    Um professor pediu que fizéssemos um trabalho sobre Blade Runner e eu aproveitei o embalo pra ler o livro do Philip K. Dick que inspirou o filme. Apesar da versão literária e a versão cinematográfica serem bastante diferentes em alguns muitos pontos, nada me impediu de imaginar o Deckard como o Harrison Ford jovem, porque qualquer desculpa é uma boa desculpa para imaginar o Harrison Ford jovem. Não acho que uma versão seja superior a outra porque o livro e o filme abordam a questão dos andróides e a da empatia de maneiras diferentes.

Estou terminando agora de ler Moneyball (forever a louca dos esportes) e implorando aceitando sugestões para os próximos livros. De livrinhos de romance jovem adulto a verdadeiras enciclopédias de tragédia russa, a mente tá aberta para explorar qualquer tipo de literatura que queiram indicar.

4 comments on “Os Primeiros 8 de 2018”

  1. Uau vários clássicos Luíza! Eu não li nenhum acredita?! rs

    Me Chame Pelo Seu Nome tem um filme que foi bem comentado. Tá na minha listinha pra assistir. Assim com Dorian Gray (o último filme).

    1. Eu tô louca pra ver Me Chame Pelo Seu Nome porque vi muita gente falando bem, também tá na minha lista de filmes pra assistir.♡

    1. Ainda não tomei vergonha na cara de assistir o filme, mas quero muito ver, ainda mais porque todo mundo diz que o filme é um amorzinho. ♡

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *