Cotidiano

(Re) Recomeçar

07.16.18

Ilustração da Minna So

Obviamente que nessa de ficar migrando o blog de um lado pro outro, alguma hora ia dar merda, certo? Deu. Fiquei com preguiça de ajeitar os posts um por um e achei melhor deixar os posts antigos guardados com muito carinho no blogger e aproveitar para (re)recomeçar aqui do zero.

Então vamos citar umas novidades aleatórias pra parecer que esse post tem algum propósito?

Eu voltei a ler a sério e isso me trouxe uma felicidade enorme. Foi um reencontro com a minha infância: eu era uma criança que vivia com a cara enfiada em algum livro. Nunca perdi o hábito de comprá-los – minhas estantes estão aí de prova –, mas achava que o amor pela literatura tinha morrido de vez depois de ter sido brevemente ressuscitado pela aquisição do Kindle e de uns romances novos de Irvine Welsh. Aí na virada do ano eu decidi que ia voltar a ler sim e acho que nesses primeiros seis meses li mais livros que nos últimos seis anos. Não só lembrei o quanto é bom a gente se perder por entre páginas – físicas ou digitais –, como percebi que era pura questão de hábito.

Também voltei a escrever num diário que é mesmo diário – ou é sempre que dá. Toda vez que preciso de um pouco de perspectiva ou de paz de espírito, eu me pego relendo páginas antigas e percebendo que nada é tão ruim quanto a gente imagina, que tudo passa, e que as coisas boas acontecem quando a gente menos espera, ou quando nem espera por nada.

Comprei um moedor de café realmente bom e meu Deus do céu, é um caminho sem volta. Ou um caminho com uma volta que eu imagino ser meio triste. Cheirinho de café recém moído e recém passado logo de manhã cedo é felicidade, conforto e aconchego tudo junto.

Zerei Dragon Age: Inquisition (finalmente) e considero isso uma pequena vitória pessoal porque quem me conhece sabe que eu tenho dificuldades de lidar com finais definitivos de coisas que eu gosto. O único outro jogo que eu tinha zerado na vida tinha sido Fallout 4, e foi meio que sem querer porque não percebi que era a última missão. Risos. Aproveitando o parágrafo sobre jogos, ando louca de vontade de jogar The Sims, ainda mais depois desse post da Ba.

Depois do trabalho todo que deu migrar esse blog de volta pro wordpress veremos se eu tomo vergonha na cara e apareço aqui com mais frequência? O fato de que eu possivelmente entre de férias semana que vem colabora para que sim. Aguardaremos.

6 comments on “(Re) Recomeçar”

  1. Que saudade de ver post por aqui, Lu. *-* Tu não imagina a minha alegria quando via que o Piramides estava em manutenção, daí toda semana vinha conferir se ele já estava aberto e com publis novas. Eu super apoio (re)recomeços, haha, principalmente se eles vão ser motivadores na rotina. Ah! Nem preciso dizer que eu, mais uma vez, adorei o layout do blog, né? Tá lindo demais! Inclusive, outra coisinha: me divirto sempre quando tu muda a descrição na sidebar ou o “sobre”, acho tão fofo a forma que escreve eles, hihi.
    Beijos e que venham mais postagens! <3

    1. Ô coisa boa você por aqui!
      Juro que dessa vez vou tentar estar por aqui, seja postando ou admirando o post dos outros, com mais frequência. Até porque deu uma certa dorzinha de cabeça migrar o blog dessa vez (se é que pode se considerar migrar já que eu acabei decidindo não trazer as postagens pra cá). Hahaha.
      Obrigada! ♡

  2. Que bom te “ver” de volta Luiza, saudade dos seus posts lindos, <3
    Posso ser abusada e pedir a dica do moedor de café? Estou procurando um há tempos, mas sempre fico confusa com tantas opções no mercado. 🙂

    Beijo, beijo :*

  3. Às vezes é bom recomeçar. Dá um frescor pra gente criar mais livremente!

    Eu parei de ler de vez. Esse ano quase não li nada!

    Ah escrever diário é tão bom! Eu escrevo também, mas sempre pra desabafar. Preciso criar um hábito de escrever quando estou feliz também. Porque meu diário é muito depressivo coitado. rs

    1. Sim! Parece que esses recomeços tiram qualquer comparação/cobrança e deixam a gente livre pra fazer o que quiser! (Ou assim espero).

      Meu diário também sofre com minhas crises existenciais, mas acho que é bom registrar os desabafos que eu sempre vejo que numa página eu tô sofrendo, três páginas depois tá tudo bem de novo, e assim a vida segue hahaha.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *